Publicado em Deixe um comentário

Sobre os cadernos de artista (Sketchbooks)

[Caderno de artista] [Sketchbook]

Eles estão nas papelarias, livrarias etc. Marcas os produzem com capas diferentes para atender a todos os estilos. Há também os artesanais, que são feitos por especialistas ou por… hipsters! Cadernos estão na moda, mas como escolher?

Talvez você já tenha passado pela experiência: comprou caderno novo, cheio de firula, e quando vai desenhar/escrever nele trava. Você não quer estragar, não é mesmo? Ele é tão perfeitinho… Bom, vou tentar ajudar com isso hoje.

Minha ajuda está principalmente na escolha. Um caderno caro para treinar não me parece uma boa ideia, pois muito daquela travada vem do medo de estragar o caderno, com um caderno caro então… tudo piora, né?

É bom lembrar que o caderno de artista não é obrigatoriamente um produto ou obra finalizada, mas o registro de um processo. E processos além de não serem imediatos deixam marcas, rastros, manchas etc, ou seja, tem “erros” e “acertos”.

Você percebeu as aspas no fim parágrafo passado? Coloquei para evidenciar que “erro” e “acerto” são conceitos muito discutíveis na arte, isto é, muitas vezes “erros” rendem mais que “acertos” virtuosos. Mas isso é papo pra outro texto…

Agora voltando aos cadernos: há um ano tenho usado a linha recicle da marca Filibook. Eles são fininhos, o que ajuda na sensação de dever cumprido (duram dois ou três meses de uso diário, apenas), e são feitos de papel reciclado.

Os “recicles” têm diferentes cores e algumas delas são maravilhosas, e você sabe que em arte tudo faz diferença. Além disso são muito baratinhos: compro no tamanho A5 (aprox.) com 60 páginas por 7,90 R$ na maioria das papelarias.

O ponto negativo é a resistência dos cadernos: precisam de muito cuidado para não serem amassados – e amassado é irreversível! Mas olhando por outro lado, esse “defeito” força-nos uma “virtude”: zelo pelo suporte da nossa arte.

Você tem alguma dúvida ou comentário? Deixa aqui embaixo! Gostaria de sugerir um tema? Faça, por favor! Não parece, mas já coleciono uma década de cadernos e compartilhar a experiência sobre eles seria uma coisa motivadora para mim.

Siga-me no Twitter para acompanhar mais sobre.
Grande abraço!
Fel Coutinho.

Deixe uma resposta