Publicado em Deixe um comentário

Rompendo a procrastinação

Olá, pessoal!

Hoje eu quero falar de diversos assuntos: procrastinação, agenda, diários, graffiti, quadrinhos e o que mais me ocorrer enquanto tiver aqui escrevendo. O objetivo é, como sempre, espalhar um pouco do que eu amo e/ou me impactou recentemente.

Falando em coisa boa, a última postagem do blog teve uma boa repercussão. Sinto que o meu esforço para me organizar está dando resultado, o que me deixa muito feliz. Por conta disso, peço que me mandem sempre os seus feedback’s, pois eles fazem muita diferença.


Para me chamar no whatsapp clique aqui.

Sobre a produção – rompendo a procrastinação

Essa foi uma semana muito positiva para a minha produção. Em primeiro lugar consegui organizar uma porção de coisa que estava de lado — uma delas a Newsletter e o Blog (o site de maneira geral). Além disso, mantive a quarta de semana de postagens ininterruptas no instagram, o que é ótimo. O engajamento nas minhas redes sociais só aumenta e percebo os trabalhos e alunos chegando por e-mail. Estou colhendo os frutos de um bom trabalho.

Agenda - ferramenta anti-procrastinação
Minha agenda pessoal – ferramenta que ajudou a deixar de procrastinar

Nada disso estaria acontecendo se eu estivesse procrastinando por aí, pensando em contos da carochinha ou tentando fórmulas mágicas que não fossem o fazer artístico e a interação com o meu público. Por isso eu digo: se você está cansado de procrastinar e não sabe bem o que fazer, começe pelo básico; organize-se.

Como sei que não é tão simples, deixo abaixo três dicas para você começar a fazer rapidinho. 

  1. Compre uma agenda;
  2. Use a agenda;
  3. ​Preocupe-se com um dia de cada vez.


Na próxima semana te passo mais três, ok? Agora… tem um ponto que queria dizer: é importante me dar um feedback ao fim da semana para que eu saiba se está funcionando. Vamos sair do marasmo? Vamos!


Diários

Uma segunda coisa que gostaria de falar, e agora falo aos artistas da minha lista (todo, hehehe), por favor, tenham um diário. Sério! Um não, dez! Diários são magníficos e tornam a vida do artista muito mais fácil, pois propiciam o escoamento das ideias instantâneamente. Eu uso alguns: uma agenda, um sketchbook, um caderno pequeno, google keep, moleskine e muitos outros.

Há alguns anos institui uma regra na minha vida: nunca sair sem um diário e um livro. E como viajo muito de ônibus, uso os tempos de viagem para ler ou registrar meus pensamentos, ideias ou anseios em meus cadernos. Alguns desses textos eu transformo em crônica que já viraram até livro.

Parece uma coisa boba ou enfadonha, mas assim que você descobrir o poder de um diário nunca mais vai deixar de usá-lo. 


Apoie no Padrim


Sobre arte

Gostaria de apresentar o Reverse Graffitti: um tipo de graffiti feito ao contrario, que se faz limpando a parede. Ele surge como contraponto ao argumento da depredação do patrímônio público ou privado que se atribui à arte urbana (fato muito questionado pelos estudiosos das artes). A irônia fina do reverse graffitti está no fato do artista não depositar nada, pondo em cheque o argumento das instituições. Afinal de contas, o que o agente público poderia dizer ou como poderia autuar um artista que está “apenas” limpando seletivamente uma parede?

Alexandre Orion fazendo reverse graffiti em muro de São Paulo
Alexandre Orion em “Reverse Graffiti”

Em matéria de arte urbana somos sempre vanguarda. Não poderia ser diferente com essa modalidade, um dos precurssores dela é artista Alexandre Orion. Leia uma entrevista dele à revista Rolling Stone clicando aqui. Veja-o em ação no link abaixo.


O trabalho animal de Kumi Yamashita

Autora: Kumi Yamashita

Kumi Yamashita é uma artista visual japonesa premiada internacionalmente. A principal temática do seu trabalho/pesquisa são as sombras. É interessante como o trabalho se revela nesse jogo de luz e sombra, não? Certamente é uma experiência ainda mais rica ver ao vivo, com a possibilidade de ver em ângulos diferentes.

Autora: Kumi Yamashita
Autora: Kumi Yamashita

O trabalho de Christo e Jeanne-Claude

Parlamento alemão embalado por Christo e Jeanne-Claude

Christo e Jeanne-Clause são dois artistas europeus que fizeram escola na arte contemporânea mundial. O que me chama mais a atenção no trabalho deles é a relação com o desenho: para cada projeto eles fazem inúmeros desenhos de projeto que são vendidos para custear a execução do trabalho em escala monumental.

Assistam o video maravilhoso do canal Artikin para saber um pouco mais do trabalho dessa dupla espetacular de franceses.

Autores: Christo e Jeanne-Claude

Sobre quadrinhos

Angelo Agostini, cartunista brasileiro

Estão abertas as votações para o prêmio Angelo Agostini. O prêmio é um dos mais importantes do país, portanto, dêem uma olhada no site clicando aqui. Muitos amigos meus estão entre os concorrentes. os amigos da Editora Draco estão concorrendo com Periferia Cyberpunk e o Daniel Sousa está concorrendo junto com o Felipe Tazzo com a HQ –O Bar do Pântano (e Outras Desgraças) .

Além disso, no meio da semana rolou uma discussão muito bacana com grandes nomes do mercado nacional de quadrinhos. Você pode ver a Thread clicando aqui. Aliás é bom dizer que boa parte dos participantes da conversa estão idealizando um podcast com este que vos escreve.


Sobre os textos

Tenho pensado muito mais antes de publicar um texto, justamente pelo motivo que digo no comentário sobre as redes sociais. Por isso, decidi postá-los por aqui. Você decide se lê ou não. 😀

Abaixo um poema feito no último sábado:

“Um dia o homem percebeu
que coisas têm um tempo

Alheio a tudo,
ou quase (tudo)

Um tempo sentido
próprio ———>

Um tempo
seu.

Constante universal; tempo.”

Fel Coutinho

Mais um texto, desta vez uma prosa estranha.

Preocupado estava . Sentou-se à mesa e não fez rigorosamente nada. Não sabia o que fazer; ansiedade.

Tratou, portanto, de fazer uma carta. Não sabia a quem. Pensou em algumas pessoas, mas ninguém lhe saltou à memória ou inspirou. Bebeu um café. Olhou no celular alguma coisa desimportante. Resolveu ir à rua. Quando retornando, lembrou-se do Ricardo. Decidido a lhe escrever, sentou-se à mesa. Danou a rabiscar.
“Oi, querido! Tudo bom? Espero que sim. Sei que sim. Antes de tudo, preciso dizer que senti alguma saudade. uma do tipo estranho que impele à escrita.” Interrompeu a carta pois achou que já tinha dito tudo o que precisava dizer. Estava com saudade e sentiu vontade de escrever. E escreveu. Pronto. Está consumado.

Fel Coutinho

Agora um pouco de texto bom, com vocês, Eduardo Galeano.

“A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Para isso: para que eu jamais deixe de caminhar.”

Eduardo Galeano

Redes sociais

Como tenho dito há meses: redes sociais precisam ser repensadas. Essa ideia se fortaleceu muito depois de ler alguns livros sobre o funcionamento das redes. E agora, passado esse tempo, tenho algumas regras para as minhas redes sociais, que passam pelo meu trabalho a arte e o que eu amo. Também decidi falar mais bem do que mal. Isso não significa não saber ou compreender os problemas do mundo, mas tentar não disseminá-los por aí para pessoas que acabaram de acordar e pegaram seus celulares…


O evento DESENHAR JUNTO

No próximo sábado (06/07) vai rolar a quarta edição do evento DESENHAR JUNTO no centro do Rio de Janeiro. Nos encontraremos no CCBB-RJ e daremos uma volta pelo desenhando centro, como já é habitual. O objetivo é terminamos o encontro na Praça Tiradentes, próximo a feira do lavradio, que ocorre no mesmo dia e horário.
Confirme sua presença clicando aqui.

Os contatos

Estou atualizando a minha presença online, portanto é importante ficar atento aos links:


Um grande abraço e muitos beijos.
Fel Coutinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.