Publicado em Deixe um comentário

Podcast, Instagram e Poesia


Caros leitores, acho muito interessante manter um blog por mais de dez anos — para falar a verdade mesmo, nem sei como eu consegui manter. Com as idas e vindas, caindo, tropeçando, a coisa aconteceu. E mantive uma razoável constância. 

Parando para pensar, se você der uma olhada pelo site, vai poder ver bastante coisa. Coisas que gosto mais ou menos: é do jogo fazer coisas que passado algum tempo você não goste mais tanto; normal. Sigo a minha produção…


Novidades

Recentemente comecei a ouvir Podcasts. Tem coisa de uns 2 anos. Desde então, tenho ouvido bastante e selecionado os imprescindíveis. Xadrez verbal, Benzina!, Revolushow e Lado B do Rio são alguns dos que eu ouço semanalmente. Além deles ouço uns tantos, que não cabe citar por aqui. Dessa escuta incessante dos podcasts surgiu a ideia de fazer um sobre o cotidiano dos quadrinistas independentes do Brasil. Surgiu assim o “Entre Sarjetas”, um podcast que toquei (neste primeiro episódio, nos próximos vem mais gente) com figuras com o Sajo e Gerson The Immigrant. Nosso primeiro episódio foi ao ar hoje e você pode ouvir clicando abaixo. 


O adeus ao like do Instagram

Já era sabida a mudança entre as pessoas que usam o instagram para trabalho, mas ontem iniciou uma nova fase para o instagram: uma era sem likes aparentes. Ainda é muito cedo para dizer algo, mas acho que a mudança surtiu um efeito positivo. Como postei no twitter. “o Instagram ficou mais humano sem os likes aparentes”. E essa foi a minha principal impressão sobre a mudança.


Poesia

Como venho dizendo, estou estudando inglês desde o começo do ano. Por conta disso, resolvi começar a escrever alguns poemas em inglês. Abaixo o primeiro deles. Espero que gostem.


“I look to the past and feeling lethargic, 

and looking for the Future, I see the past

and behind the mind — The pain!

I saw the sadness,

I feel the sadness,

I touch the sadness, 

— on her face!

Can you explain to me how I do this?

Can you talk to me how I will be better?

Can you touch me in the judgment day?

Because, when God is furious

Nothing remains,

Nothing to do,

Nothing to be,

Nothing to see.

Can you explain to me how to touch the sky the last time?

Please. I need your help. I’ve aways Needed”


Bom… então é isso, pessoal. Volto em breve com mais reflexões, desenhos ou novidades. Até mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.