Publicado em

Quando as lembranças se perdem

Quando as lembranças se perdem fica só isso aí. Nada. Viver é colecionar lembranças, uma atrás da outra. Uma de cada vez. Não é? É. Viver é colecionar lembranças e quando elas se perdem a vida acaba. E é assim mesmo. Dá uma dor no estômago absurda e não há mais o que fazer. Acredito que todo mundo sabe quando a sua hora chegou. Pude constatar isso no dia que mataram um homem na minha frente pela primeira vez. Ele olhou para mim e, sem dizer, disse que sabia que era o fim. Não chorou nem sorriu, mas disse que era o fim e que não estava se lembrava de nada. Quando ele deixou de se lembrar foi quando morreu e não quando as sete balas perfuraram o seu corpo. Eu pude ver tudo muito de perto. Ouvi cada bala entrando em seu corpo e não tive dúvidas: ele já estava morto quando tomou o primeiro tiro. Morreu quando as lembranças se perderam.

Viver é colecionar lembranças.